Episódio #25: Resenha – Koe no Katachi (A voz do Silêncio)

Episódio #25: Resenha – Koe no Katachi (A voz do Silêncio)

 
 
00:00 /
 
1X
 

Koe no Katachi

Fala pessoal, já está no ar o vigésimo quinto episódio do Gasha, e dessa vez falaremos do belíssimo filme Koe no Katachi, conhecido como A Voz do Silêncio no Brasil.

Sinopse

Koe no Katachi tem como protagonista Shoya Ishida, um garoto comum, e Shouko Ishida, uma nova estudante de seu colégio que é surda, algo totalmente inédito para todos na sala de aula. Shoya é um daqueles garotos que gosta de atrair a atenção para ti e quer apenas se divertir, com isso acaba se aproveitando da surdez de Shouko para começar com o bullying com a garota. Porém, um dia o “feitiço vira contra o feiticeiro” e Shoya acaba se tornando o alvo do bullying de seus amigos por causa das suas brincadeiras que fugiram do limite com a garota. Ela se muda de escola e Shoya convive até sua adolescência com o peso de ter feito algo tão infeliz em sua infância. Porém ao chegar no colegial, os dois se reencontram. Será a chance da redenção?

Produção

A adaptação em animação foi anunciada no capítulo final do mangá, em 19 de novembro de 2014, sendo posteriormente especificado que a adaptação iria ser um filme.

Na 46º edição da Weekly Shonen Magazine de 2015, disponibilizada em 14 de outubro de 2015, Naoko Yamada e a Kyoto Animation foram, respectivamente, anunciados para serem a diretora e o estúdio de animação da adaptação cinematográfica.

A distribuidora do filme, Shochiku, anunciou que a estreia da adaptação ocorreria no outono de 2016. Em 8 de abril de 2016, o site oficial do filme foi lançado, anunciando que Reiko Yoshida seria a roteirista, Futoshi Nishiya estaria criando o design dos personagens e o filme estava programado para lançamento nos cinemas japoneses no dia 17 de setembro de 2016. Kensuke Ushio e a Pony Canyon ficaram encarregados de compor e produzir a música, respectivamente.

Informações Técnicas

Tipo: Filme

Episódios: 01

Estreia: 17 de Setembro de 2016

Produtores:

  • Shochiku (Noragami, Mahoutsukai no Yome)
  • Pony Canyon (Shingeki no Kyojin, Fairy Tail, Clannad)
  • Kodansha (Shigatsu wa Kimi no Uso, Parasyte)
  • ABC Animation (Violet Evergarden, Darling in the FranXX)
  • Quaras (Koe no Katachi)

Licenciante: NYAV Post (Kimi no Na wa, Bakuman)

Estúdio: Kyoto Animation (Clannad, Chuunibyou demo Koi ga Shitai, Hyouka, Violet Evergarden, Kobayashi-san
Chi no Maid Dragon, Kyoukai no Kanata)

Direção: Naoko Yamada – Diretora do estúdio Kyoto Animation (K-on, Tamako Market Anime)

Roteiro: Reiko Yoshida (Bakuman, D.Gray-man, K-On, Digimon Adventure (3, 14 e 21), Digimon Adventure 02 (4,
20, 24, 31, 34 e 42), Girls & Panzer, Romeo X Juliet)

Música: Kensuke Ushio (Devilman: Crybaby, Ping Pong The Animation, Spacy Dandy)

Design de Personagem: Futoshi Nishiya (Free!: Eternal Summer, Hyouka, Nichijou, Suzumiya Haruhi-chan no
Yuuutsu)

Fonte: Mangá

  • Publicado: 7 de Agosto de 2013 até 19 de Novembro de 2014
  • Volumes: 7
  • Capítulo: 64
  • Gênero: Drama, Escolar
  • Revista: Shounen Magazine (Weekly)
  • MAL – Mangá
  • Avaliação: 8,84 – 22º Lugar
  • Popularidade: 137.325 – 12º Lugar

Duração: 2 horas e 10 minutos

Avaliações

MAL

  • Avaliação: 9,04 – 10º Lugar
  • Popularidade: 567.109 – 68º Lugar

IMDB

  • Pré-indicação ao Oscar de 2018
  • Avalição: 8,2

Disponibilidade – BRASIL

Manga

  • Publicado: Editora NewPOP
  • Período: maio de 2017 a maio e 2018 (bimestral)
  • A venda: Loja NewPOP e Amazon

Filme

  • Rede de Cinema: Cinépolis
  • Data: Maio de 2017
  • América do Sul: Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Panamá e Peru.

4 comentários em “Episódio #25: Resenha – Koe no Katachi (A voz do Silêncio)”

  1. Ps (leitura dos comentários): Roberto me entendeu sobre o Berserk… Mesmo tendo um cara que gira uma espada gigantes isso ainda é bastante aceitável dentro da proposta, mas essa é uma obra q eu não acho aceitável ter alívio cômico e sim que ela seja mai séria e pé no chão, sem magia, alívio cômico e nego gritando nome do golpe.

    Quem nunca pensou em se matar pelo menos uma vez? Eu me indentifiquei bastante com o protagonista… Grande parte da história eu me indentifiquei, isso fez com q eu sentisse bem mais forte tudo que ele fazia e que sofria, como se fosse eu antigamente.

    A parte em que eles dois tão na ponte depois do Shoya sair do hospital é muito boa também… Vc sente q eles finalmente estão entendendo um ao outro e nessa mesma cena ele pensa “eu nunca perguntei como ela se sente em relação a mim” isso mostra q ele tava simplesmente pensando nele mesmo e não no que era melhor para ela ou até mesmo não estava pensando sobre os sentimentos dela, ele só tava fazendo oq achava ser o certo esse é um dos motivos q fez ele não enxergar q ela tava tão mal a ponto de tentar se matar.

    Uma coisa q eu não curti 100% nesse filme foi o alívio cômico… Sorte q tem só uns 3. Mas nos 30 min finais eu tava soluçando e tendo q pausa d vez em quando pra limpar os olhos por causa da poeira que tava caindo neles… Eu tava no clima de “porra que história incrível e tratando o assunto dessa forma tão séria” e aparece o brasileiro………
    Rapaz… Tá de sacanagem? Como vc me quebra o clima assim? Q bando de fdp

    A trilha sonora desse filme é excepcional, eu concordo em partes com a teoria da surdez, mas creio que essa trilha instrumental é mais para causar um maior impacto nas cenas mais “impactantes”. Musicas cantadas na minha opinião, não passam 20% da emoção mais sutil q uma música instrumental consegue passar, a falta de trilha em alguns momentos é para realmente acompanhar os sentidos do protagonista e/ou da situação (acredito eu).

    O único e excelente alívio cômico desse filme foi o da lua, muito bom hehehe. Ali o clima tava perfeito pra entra a piadinha, e não foi a piadinha desnecessária… Ela Serviu pra mostra q ele não entendeu oq a nishimiya disse, brincando com esse negócio da dificuldade dela de falar, esse era pra ser o único alívio do filme, é o único que precisava…

    O filme é 10/10 eu fico muito em dúvida entre o koe e o kimi, mas acho q o koe no katachi é o melhor filme de drama na minha honesta opinião

    Ps: Arthur decida se tu vai falar o nome dos filmes/animes/mangas em Inglês, português ou japones (seria melhor japones nos não clássicos), pq quando tá em ep do gasha q tem muito anime sendo comentado eu penso q vc já ta falando de outro anime mas na real só tá falando o nome do mesmo em inglês.

    Excellent podcast gasha boys, continue assim.

    Rapaz… Se quiser dar um corte em alguma parte do comentário q vcs acham que não agrega pode ir lá… Q tá grande pra um caralho hehehe foi malz, no próx eu tento escrever menos.

    • Emerson, primeiramente obrigado pelo comentário.
      Eu concordo com quase tudo que você disse, apenas sobre a comparação entre Koe no Katachi e Kimi no Na wa, pra mim um Your Name é um obra de romance com drama, enquanto A Silent Voice é um drama com uma pitada de romance, logo, prefiro não escolher de qual gosto mais e ficar com as duas, pois cada uma delas me emocionou de uma forma. Se você se identificou tanto com a obra, recomendo ir para o mangá, ele aprofunda mais as coisas e da um final mais fechado para a parte romântica da obra. (Sim, eu usei os nome em Inglês e japonês só pela zuera, hahahaha)

      • Ah… Não, q fdp kkkkk
        Eu sei… Tbm acho muito difícil escolher entre o koe e o kimi, mas eu escolhi mais pelo fato da obra q mais me impactou. Eu curto bastante essas histórias com um drama mais forte e com romance.

        Ps: veja aoi bungaku logo Arthur, tá perdendo tempo vendo um monte de juju da temp e ainda não viu ele, nem precisa ver td, só até o 4° ep… É 100/10 a 1° história desse anime.

  2. Ah… Volto a indicar o anime aoi bungaku q a primeira história tem bastante relação com suicídio, mas levando para um caminho mais filosófico e mais chocante.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas